Princípios básicos da Ayurveda e a Nutrição Ayurvedica

O que é a Ayurveda?
A Ayurveda é um sistema milenar hindu de medicina tradicional Indiana. É a ciência da vida: um sistema holístico de cura e de manutenção da saúde, profundamente espiritual, no qual tanto o corpo como a mente são avaliados. Tendo entre 3.000 a 5.000 anos de existência, a Ayurveda foi desenvolvida face às necessidades da época.
O “corpo” de informação conhecido como Ayurveda foi transmitido oralmente durante séculos, através de canções e de versos conhecidos como os Vedas. O Rig Veda, com 4.500 anos, é a canção mais antiga, descrevendo em 128 hinos algumas das práticas ayurvédicas da Índia antiga. O Atharva Veda, com 3.200 anos, dá-nos também mais informação sobre as raízes desta medicina. O primeiro texto ayurvédico, acessível nos dias de hoje, é o Charaka Samhita, escrito pelo médico Charaka, e o Susruta Samhita, de Susruta.
A Ayurveda centra-se no princípio em que o Homem é uma miniatura da natureza, sendo que tudo o que está presente na natureza, está presente também no Homem.

Os 5 Elementos Primordiais
Tudo o que existe no Universo, e como tal também no Homem, é constituído por cinco elementos, ou estados da matéria - Panchamahabhutas (em Sânscrito): éter, ar, fogo, água e terra. Se estes elementos estiverem em equilíbrio, tanto o Universo como o Homem estarão em equilíbrio.

A Constituição Individual
O conceito de constituição (prakruti em Sânscrito) é o coração da Ayurveda. Esta ciência ensina que existem três constituições individuais, ou biótipos humanos, os Doshas. Estes são Vata, Pitta e Kapha. Todos os seres humanos têm em si algum tipo de combinação destes princípios, combinação essa que forma a sua prakruti. É a descoberta desta constituição individual que permite entender quais os estilos de vida e alimentação recomendáveis para um indivíduo, e que lhe trarão harmonia para com a sua prakruti, mantendo o seu estado de saúde.
Os três Doshas: Vata, Pitta e Kapha
É a combinação dos 5 elementos primordiais – Panchamahabhutas – que dão origem aos Doshas:
Vata – é Ar e Éter
Pitta – é Fogo e Água
Kapha – é Água e Terra
A Ayurveda como sistema tenta estabelecer a harmonia dos doshas no corpo, sendo que a harmonia, ou equilíbrio, é saúde e o desequilíbrio leva á doença.

Prakruti e Vikruti
A prakruti é a combinação dos três doshas no momento da concepção, nunca se alterando durante a vida. A vikruti é a constituição “do momento”, reflectindo o estado de saúde de um indivíduo. Numa pessoa com excelente saúde as proporções da prakruti são sempre iguais ás da vikruti.
Prakruti = Vikruti = SAÚDE!

É a diferença entre ambas que um médico ayurvédico irá estabelecer, através de processos tais como análise da face e da língua, análise do pulso e estilo de vida. Será a diferença encontrada, entre prakruti e vikruti, que dará informação específica ao médico para formular um programa que irá restaurar a saúde ao paciente.

Os 3 Gunas
Para além dos três doshas, que formam a constituição física, a Ayurveda reconhece três energias psíquicas, ou gunas, que formam a mente e que determinam o carácter psicológico. Quando os três gunas estão equilibrados, a mente e o corpo estão saudáveis. Se existe um desequilíbrio nos gunas, então poderão existir problemas tanto mentais como físicos.
A teoria dos três gunas mantém que toda a matéria existente no Universo é uma criação da Prakriti - a Natureza, sendo os três gunas, ou qualidades, as constituintes da Prakriti. Eles são:
Tamas – escuridão ou inércia
Rajas – turbulência ou actividade
Satva – pureza, equilíbrio ou harmonia
Estes três gunas estão presentes em todos os seres e objectos, variando na sua quantidade. São as três qualidades primárias e omnipresentes por detrás de toda a matéria no Universo. Os gunas não podem ser removidos mas podem ser, conscientemente, aumentados ou diminuídos através de pensamentos, estilo de vida e práticas.
De acordo com a Ayurveda, os medicamentos e os alimentos podem ser tamásicos, rajásicos ou sátvicos, ou uma combinação dos três.
Satva é o estado ideal para uma vida saudável. Para aumentar satva há que reduzir tamas e raja. A ingestão de alimentos sátvicos, bem como a adopção de estilos de vida e actividades que produzem alegria e pensamentos positivos são uma forma de cultivar este estado.

Equilíbrio é Saúde
A Ayurveda, como sistema e fazendo uso de todas as suas técnicas e terapias, é um sistema que tenta estabelecer a harmonia dos doshas no corpo e dos gunas na mente, sendo que harmonia e equilíbrio são saúde, e que o desequilíbrio leva á doença.

 

 

Nutrição Ayurvédica


Na Ayurveda, considera-se que os alimentos afectam tanto a mente, como o corpo. É ao entendermos como devemos preparar os alimentos que são mais adequados à nossa constituição – prakruti – que podemos utilizar a nutrição como fonte de cura.
Os alimentos são constituídos pelos mesmos 5 elementos – panchamahabhutas – que formam o Homem e o Universo: o éter, o ar, o fogo, a água e a terra. O seu poder de cura, e de manutenção da saúde, é manifestado quando os consumimos na correcta combinação e em completa coordenação com a condição única de cada indivíduo.
A Ayurveda ensina-nos a comer alimentos sátvicos, seguros para todos. Estes alimentos são sempre frescos, da época, cozinhados de forma apropriada, geralmente vegetarianos (salvo raras excepções), sem especiarias em demasia ou óleo a mais.

Em Nutrição Ayurvédica procuramos:

1. Regularizar a absorção, assimilação e eliminação dos produtos da digestão (uma digestão incorrecta produz toxinas – ama);
2. Corrigir desequilíbrios dóshicos (vikruti);
3. Escolher os alimentos mais adequados à constituição individual (prakruti).

Princípios Aurvédicos de Nutrição:

1. A comida deve ser quente (cozinhada);
2. A comida deve ser saborosa e de fácil digestão;
3. Ingerida em quantidade certa. Nem demais, nem de menos;
4. Ingerida em estômago vazio. Depois da digestão da última refeição e não antes;
5. Alimentos têm de ser compatíveis, e sem acções contraditórias;
6. Alimentos têm de ser ingeridos em ambientes agradáveis;
7. Não comer à pressa, nem levar tempo demais;
8. Concentração nos alimentos durante a refeição;
9. Consumir apenas alimentos apropriados à constituição individual e apropriados ao temperamento mental e emocional.

Os Alimentos e a Digestão – Conceitos de Rasa, Virya e Vipak

Rasa – A acção do gosto
De acordo com a Ayurveda, cada alimento tem um gosto específico - Rasa. No instante em que um alimento toca na língua, a primeira experiência é o gosto. O gosto é uma qualidade muito importante, tendo um efeito directo nos doshas. A Ayurveda reconhece 6 gostos: doce, ácido, salgado, picante amargo e adstringente. Todos os alimentos são feitos de uma combinação dos 5 elementos – Panchamahabhutas – sendo que os elementos estão presentes nos 6 gostos, afectando os doshas directamente.

Sabor/ Elementos/ Efeito nos doshas

Doce
Terra e Água
Vata e Pitta –
Kapha +


Ácido
Terra e Fogo
Vata –
Pitta e Kapha +


Salgado
Água e Fogo
Vata –
Pitta e Kapha +


Picante
Ar e Fogo
Kapha –
Vata e Pitta +


Amargo
Ar e Éter
Pitta e Kapha –
Vata +


Adstringente
Ar e Terra
Pitta e Kapha –
Vata +

+ Significa aumento, ou agravamento – significa decréscimo, ou bom para

Alguns exemplos de alimentos e respectivos gostos:

Doce – Fruta madura, cenoura, beterraba, maçã, figos, tâmaras.
Ácido – Citrinos, vinagre, alimentos fermentados, pickles, tomate, coentros.
Salgado – Algas, sal.
Picante – Pimenta, cebola, alho, gengibre, agrião, mostarda, rabanetes.
Amargo – Café, espinafres, ruibarbo.
Adstringente – Romã, amoras, diospiro, brócolos, grão, bananas verdes.

Virya – A acção ou efeito dos alimentos no tracto intestinal
Esta acção pode ser quente ou fria. Pode ser descoberta por percepção directa (se um alimento é quente ou frio no estômago e intestinos), e por inferência (observando a acção no corpo). Alimentos com um Virya quente estimulam a digestão e alimentos com um Virya frio abrandam a digestão. Virya é de extrema importância na Ayurveda, para avaliar a acção de ervas medicinais e de medicamentos.

Vipak – O efeito pós-digestivo
Este efeito é o impacto que um alimento tem no corpo, uma vez que seja completamente absorvido e assimilado. Alimento com gosto doce e salgado têm um vipak doce, alimentos ácidos têm um vipak ácido e alimentos com gosto picante, amargo e adstringente têm um vipak picante.

Prabhav – A acção sem explicação
É a excepção á regra. Quando dois alimentos com rasa, virya e vipak semelhantes têm acções no organismo completamente diferentes. Não existe explicação!


Os Alimentos e a Mente

A Ayurveda vê o indivíduo como um todo: alma, mente e corpo. Cada um destes elementos tem impacto no outro. Ao cozinhar de acordo com as regras da medicina Ayurveda, é necessário ter em atenção o efeito dos alimentos tanto no corpo, como na mente. A mente tem três propriedades: sattva (equilíbrio, pureza), rajas (movimento, agressividade) e tamas (letargia, escuridão), e os alimentos também.


Alimentos tamásicos – são aqueles que agravam o tamas na mente, aumentando a confusão, depressão, letargia e inércia. Incluem toda a comida processada, álcool, congelados, drogas e químicos, cebolas, cogumelos, carne, peixe e aves.


Alimentos rajásicos – são aqueles que estimulam o fogo, movimento, criatividade, agressão e paixão. Tradicionalmente na Ayurveda, eram recomendados aos guerreiros antes de uma batalha. Incluem alho, pimentos, ovos, queijo, açúcar, abacate, citrinos, alimentos fermentados, etc.


Alimentos sátvicos – são aqueles que mantêm a mente limpa, verdadeira e focada. Incluem a maioria dos vegetais frescos, frutas, cereais, leite materno, ghee, frutos secos e adoçantes naturais.
Comer de uma forma sátvica tem um impacto em todos os doshas. O aumento de sattva em Vata ajuda a acalmar a mente e o corpo; em Pitta faz com que seja mais fácil gerir a impaciência e irritabilidade, mais uma vez levando à paz e à calma. Em Kapha, uma dieta sátvica ajuda na ligeireza e flexibilidade, reforçando a calma inata da mente de Kapha.


Autor: Ana A.Gema

  • 2015-06-02